30 de nov de 2011

[Conto] NELSON RODIRGUES – O Enganado

Nelson Rodrigues


                 por  Pedro Luso de Carvalho


        Antes de transcrevermos o conto O engnado, que é um dos contos que compõem A vida como ela é... (A vida como ela é.../ Nelson Rodrigues, Rio de Janeiro, Agir, 2006, p.228), duas linhas sobre o mestre da dramaturgia.

        NELSON RODIRGUES - Nelson Falcão Rodirgues – nasceu a 23 de agosto de 1912, em Recife, e morreu em 21 de dezembro de 1980, no Rio de Janeiro. Foi o mais importante dramaturgo brasileiro do século XX. Nas suas obras ataca o mundo pequeno-burguês nas teias de ilusão e hipocrisia em que vive.

        O próprio Nelson Rodrigues provinha de um ambiente da pequena burguesia, que lhe proporcionou, desde pequeno, um forte senso crítico. Durante a Ditadura Militar teve peças censuradas. Suas pricipais peças são: Vestido de noiva (1943), Album de família (1945), A falecida (1953), Beijo no asfalto (1960), Toda nudez será castigada (1965).

        Segue, pois, o conto O enganado, de Nelson Rodrigues:


                              [ESPAÇO DO CONTO]

                                  O ENGANADO
                                                                                    (Nelson Rodrigues)




        Alguém veio lá de dentro chorando: “Como é possível, meu Deus!”

        Morreu ao cair da noite. Menezes saiu, pasmo, e entrou no primeiro botequim. Daria tudo para chorar uma lágrima, fosse de pena, de ódio, de amor. Mas se sentia pétreo, numa dor estática e terrível. E, de repente, sua calma se fundiu.

        Teve uma crise medonha: debatia-se nos braços dos amigos, berrando:

        - Cínica! Cínica!


                                                                       
                                                                        *  *  *  *  *  *


Um comentário:

  1. Grande mestre! Muito boa a sua página, Luso!

    ResponderExcluir

LOGO O SEU COMENTÁRIO SERÁ PUBLICADO.

OBRIGADO PELA VISITA.

PEDRO LUSO